Florianópolis, 28 de junho de 2017
Search

Quem Somos

Sobre

O MARUIM é um coletivo de jornalismo que surgiu da necessidade de se ampliar e diversificar os canais de informação em Florianópolis. Acreditamos que o conhecimento jornalístico é capaz de superar o senso comum. Ao trabalhar com as contradições que vivemos no cotidiano, apostamos que é possível influenciar as decisões políticas das pessoas e instituições.

Nossa missão é produzir notícias e reportagens que contribuam para a transformação da realidade injusta e segregadora em que vivemos. Nosso conteúdo jornalístico tenta disputar as narrativas sobre a cidade. Os principais temas que exploramos são meio ambiente, mobilidade, segurança pública e ocupação do espaço urbano.

Além de produzir jornalismo, o MARUIM se engaja na luta pela democratização da comunicação. Acreditamos que o potencial do jornalismo independente é sufocado pela falta de um marco regulatório das comunicações no Brasil. Na verdade, para nós, não pode haver democracia enquanto o aparato midiático estiver todo concentrado nas mãos de poucas famílias da elite brasileira.

A nossa proposta se sustenta no diálogo aberto e aproximado com o público do MARUIM. Pretendemos em conjunto trabalhar por uma produção que responda às demandas da maioria da população, e não privilegie interesses privados.

Com um modelo sem fins lucrativos e formado sobretudo por jovens recém-formados, o MARUIM é uma aposta no conhecimento jornalístico em tempos de crise. Para que se desenvolva e se torne parte do novo jornalismo que há por vir, contamos com o apoio do público e de parceiros que acreditem na necessidade desse tipo de iniciativa. Sinta-se parte do projeto.

Estrutura

O coletivo está aberto para colaboradores que desejem produzir conteúdo jornalístico. Nos organizamos por meio de uma coordenação que trabalha para o andamento do veículo. Após dois anos, o grupo se consolidou na fundação da Associação Coletivo de Jornalismo MARUIM, de caráter público, no dia 19 de junho de 2016.

(lista de nomes/profissão)

Camila Rodrigues da Silva jornalista
Daniel Piassa Giovanaz jornalista
Diogo Gonçalves Andrade advogado
Gabriel Shiozawa Coelho jornalista
Jéssica Castro Antunes estudante
Joana Zanotto Sabbá Guimarães jornalista
Luara Wandelli Loth estudante
Matheus Manoel Lobo Pismel jornalista
Pedro Aguiar Stropasolas estudante
Poliana Dallabrida Wisentainer jornalista
Priscila Oliveira dos Anjos jornalista
Rodrigo Simões Chagas jornalista
Thaís Ferraz Rodrigues Fernandes estudante
Tito Luiz Pereira economista
Vitor Shimomura Spinelli estudante

Conselho Consultivo

É uma estrutura que busca relacionar o coletivo com a intelectualidade jornalística e com profissionais mais experientes. Às pessoas que integram o Conselho Consultivo foi confiada a tarefa de nos dar retornos (feedbacks) internos como parte do aprendizado constante do coletivo. O conselho é constituido por:

Jacques Mick: Jornalista com mestrado e doutorado em Sociologia Política, é professor adjunto do Departamento de Sociologia e Ciência Política da Universidade Federal de Santa Catarina. Coordena as pesquisas “Perfil profissional do jornalismo brasileiro” e “Journalist role performance around the globo – Etapa Brasil”, além de atuar no projeto internacional de investigação “flexMediaLives”. Entre os anos de 2008 e 2011, pesquisou a concentração de propriedade na mídia e o jornalismo de A Notícia. Em conjunto com Samuel Lima, publicou em 2013 o livro “Perfil do Jornalista brasileiro. Características demográficas, políticas e do trabalho jornalístico em 2012”.

Mauro Silveira: Trabalhou como repórter em diversos veículos de comunicação, como Zero Hora, IstoÉ, Veja, Coojornal e Folha da Manhã. Tem experiência profissional e docente em jornalismo investigativo, história do jornalismo e jornalismo esportivo. É autor dos livros “O jornalismo português como aliado do Brasil na Guerra do Paraguai”, “Um pecado original: os primórdios do jornalismo na Bacia do Rio da Prata” e “A batalha de papel: a charge como arma na guerra contra o Paraguai”.

Gislene Silva: Jornalista com doutorado em Ciências Sociais – Antropologia, trabalhou como repórter na Editora Abril, nas áreas de saúde e rural. Foi repórter da revista Globo Rural por mais de dez anos. Pesquisa noticiabilidade e acontecimento jornalístico, epistemologia do jornalismo e metodologia da pesquisa em Jornalismo, com foco nas questões da cultura e do imaginário na mídia noticiosa. Publicou em 2009 o livro “O sonho da casa no campo: jornalismo e imaginário de leitores urbanos”.

Elaine Tavares: Atua no campo da comunicação popular junto a movimentos sociais e entidades. É programadora e apresentadora na Rádio Comunitária Campeche. Coordena a comunicação do Instituto de Estudos Latino-Americanos e integra o coletivo editorial da Revista Brasileira de Estudos Latino-Americanos – Rebela. Elaine também integra a Rede Popular Catarinense de Comunicação e edita, junto com Miriam Santini de Abreu, a revista de reportagem Pobres e Nojentas.

Andreia Dip: Jornalista ganhadora do prêmio Tim Lopes de Jornalismo Investigativo pela reportagem e HQ Meninas em Jogo, que fala sobre exploração sexual de meninas brasileiras durante a Copa do Mundo. Andrea faz parte do time da Agência Pública de Jornalismo.

Bruno Paes Manso: Trabalhou por dez anos como repórter no jornal O Estado de S. Paulo. Também atuou na Revista Veja, Folha da Tarde e Folha de S. Paulo. Atualmente faz pós-doutorado no Núcleo de Estudos da Violência da USP. É autor do livro “O Homem X – Uma reportagem sobre a alma do assassino em SP”, que ganhou o Prêmio Vladimir Herzog de melhor livro-reportagem de 2006 e repórter da Ponte Jornalismo.

Marcia Veiga: É doutoranda em Comunicação e Informação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Vencedora do Prêmio Adelmo Genro Filho 2011, na categoria Melhor Dissertação de Mestrado, concedido pela SBPJor − Associação Brasileira de Pesquisadores em Jornalismo. Atuou por quase dez anos em Assessoria de Imprensa junto a organizações não governamentais,entre elas a Themis − Assessoria Jurídica e Estudos de Gênero e o GEEMPA − Grupo de Estudos sobre Educação, Metodologia de Pesquisa e Ação. Seus interesses de pesquisa são voltados para os temas relativos ao Jornalismo, Produção do conhecimento, Gênero e interseccionalidades.

Contato

Seu nome (obrigatório)

Seu e-mail (obrigatório)

Assunto

Sua mensagem