Florianópolis, 12 de dezembro de 2017
Search
21104089_1576158359110455_1426171970_o

Prefeito diz que não irá fechar Centro Pop

Reportagem:

Após reunião com movimento, João Batista Nunes garantiu que serviço será mantido com servidores municipais

O Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua (Centro Pop) de Florianópolis será mantido pela prefeitura. A decisão foi acordada em reunião envolvendo representantes do poder público municipal e integrantes do Movimento Nacional de Pessoas em Situação de Rua (MNPR-SC), na manhã de hoje (25/8). O prefeito em exercício João Batista Nunes (PSDB) também garantiu que os servidores não serão substituídos por voluntários, como havia anunciado durante a semana.

A reunião de hoje foi agendada após a ocupação do gabinete do prefeito, na tarde de ontem (25/8). Um novo encontro envolvendo a comissão está marcado para a próxima sexta-feira (01/9) para seguir discutindo coletivamente uma proposta de reestruturação do espaço. A pauta da reunião inclui um mapeamento estratégico, elencando as políticas públicas que já existem no município e o que ainda precisa ser criado.

Até o momento, os órgãos municipais não apresentaram suas propostas e nem os motivos para o fechamento temporário do local. Em maio deste ano, o prefeito Gean Loureiro (PMDB) anunciou o lançamento do projeto “Floripa Social” que previa a ampliação do Centro Pop, que até o momento não aconteceu.

“Hoje já temos outros equipamentos que  são muito precarizados, mas a gente não tem um restaurante popular; não tem equipes de redução de danos, que fazem o atendimento na rua dos usuários de drogas.; não temos um Capes AD III, com leitos para desintoxicação. Então sequer garantimos o que já está previsto e já falam em criar outras estruturas”, revela Carolina Pommar, apoiadora do MNPR-SC e uma das presentes na reunião de hoje.

Entre os apoiadores, estiveram presentes alguns vereadores e o Padre Vilson Groh, que há décadas realiza trabalhos voluntários com essa população. “É necessário instituir o Comitê Intersetorial e também um cronograma de reuniões, com data fixa e um planejamento de trabalho conjunto com estudo das legislações e de todos os diagnósticos existentes sobre o assunto”, afirma o padre. O Comitê Intersetorial faz parte da Política Nacional para a População em Situação de Rua e deve fiscalizar as ações do Estado e sugerir políticas públicas voltadas para essa população, de acordo com o decreto de lei 7053 de 2009. Em Florianópolis ele existe, mas segundo o movimento, está enfraquecido, já que não conta  com a representação de todas as secretarias previstas em lei.

“Saimos hoje vitoriosos, a partir de todo esse movimento que foi criado, porque o prefeito se comprometeu, assinou uma ata dizendo que não fechará o Centro Pop”, garante Carolina.

Entenda o caso

No início da semana, a Secretaria de Assistência Social anunciou o fim do equipamento do Centro Pop com a justificativa de readequação dos serviços oferecidos no local. A medida, tomada sem um comunicado prévio, encerraria os atendimentos psicossociais e afetaria cerca de 500 usuários, que fazem uso do espaço mensalmente. A prefeitura pretendia garantir o serviço com voluntários, sem preparo técnico e formação profissional. Em resposta à decisão, integrantes do MNPR-SC e apoiadores ocuparam o gabinete do prefeito, na tarde de ontem (24/8), exigindo explicações do Executivo municipal.