Florianópolis, 25 de maio de 2017
Search
img_2538

Ato contra o aumento da tarifa de ônibus ocorre em Florianópolis 

Texto: Priscila dos Anjos

Fotos: Karina Ferreira e Tito Pereira

No primeiro dia útil (09/01) após ao aumento da tarifa dos ônibus de Florianópolis – R$ 3,71 no cartão e R$ 3,90 em dinheiro – cerca de 400 manifestantes realizaram um ato contra o aumento da passagem. O calçadão em frente ao Terminal Integrado do Centro (TICEN) foi o local de concentração do protesto, que teve início às 18h. Com o aumento, Florianópolis tornou-se a segunda cidade com tarifa mais alta entre as capitais brasileiras.

O ato percorreu a Avenida Paulo Fontes e passou pelos terminais do TICEN. Ao abrir o portão lateral de acesso à Plataforma B e com cantos como “Ói, Ói, Ói, Ói. Sou manezinho mais não sou nenhum bocó. Ói, Ói, Ói, Ói. Pula a catraca ixtepô vai ser melhor”, os manifestantes incentivaram a população a não pagar a passagem, naquele final de tarde.  Minutos depois policiais usaram a força para fechar o acesso.

Também dentro do Terminal, por meio de palavras de ordem, os manifestantes questionaram os trabalhadores do transporte público, quanto a relação do aumento da tarifa e o reajuste salarial dos cobradores e motoristas: “O motorista, o cobrador, quero saber se o seu salário já aumentou? ”.

Alguns trabalhadores que assistiam o ato fizeram gestos de apoio aos manifestantes. A cobradora Maria* comentou que não há relação entre o aumento da passagem e o reajuste salarial.  “O aumento da passagem não tem a ver com o nosso reajuste salarial. São coisas separadas”. O cobrador, Rafael* disse que haverá um possível reajuste em maio, mas que não está nada garantido para a categoria. “Eu sei que a passagem é cara para o transporte que é oferecido. Tu entra ali no ônibus e tu vê as condições que a gente trabalha”.

No final do ato, os movimentos sociais presentes decidiram em assembleia a realização de uma reunião ampliada na terça-feira (10), as 17h, no Varandão do Centro de Comunicação e Expressão (CCE) da UFSC.

No mesmo dia, pela manhã, o prefeito Gean Loureiro mobilizou a Guarda Municipal, a Polícia Civil (PC), a Militar (PM) e a Federal (PF) para barrar o comércio ilegal nas ruas centrais da cidade.

Veja as fotos do ato do dia 9 de janeiro:




Comentário sobre “Ato contra o aumento da tarifa de ônibus ocorre em Florianópolis 

  1. Maurício

    Sobe o valor da passagem e o serviço prestado não melhora proporcionalmente.

    O atendimento de algums cobradores e motoristas é péssimo.

    A simples função de abrir uma porta para ajudar a ordenar as filas para entrar nos ônibus, não é respeitada por alguns dos motoristas.

    Nós usuários também não ajudamos. Somos mal educados. Aliás, por falar em educação, a fila dos ônibus que levam à UFSC deveria dar exemplo, pois a maioria ali é de estudantes que receberam boa educação em boas escolas. Mas é uma das mais desorganizadas…

    Isso me faz pensar se somente educação resolve algo.

    Na minha opinião, falta cidadania. E ser cidadão exige que nos atentemos para nossas ações cotidianas sem que percamos tempo apontando para ações de outro.

    Mas claro, todos que leram este post vão entender que falo de outras pessoas, pois afinal, somos pessoas de bem…

    O inferno sempre é os outros…

    Eu sei que ainda falta muito para eu melhorar. Mas não vou esmoecer e vou tentar canalizar minhas forças para as minhas ações…

    Eu assumo que tenho minha parcela de responsabilidade pelo aumento das passagens e pelo mal atendimento…

    O melhor que posso fazer é entender minha parcela de responsabilidade e tentar dar conta dela. E sei que ela está evidente na Pólis, em minhas pequenas ações diárias. Onde eu a todo tempo tento tirar proveito em prol de um ganho para mim em detrimento de ganho para a pólis…

    E o que me deixa mais aflito é saber que muitas de minhas ações egoístas eu nem me dou conta… A melhor forma de tentar amenizar esta minha cegueira é me atentar para ação do outro que me incomoda e me lembrar que me incomoda pois faço, ou queria fazer o mesmo, e isso me irrita…

    O correto é eu me acamar, assumir que faço igual, ou que eu gostaria de fazer o mesmo, e me irrito pois quem fez levou vantagem sobre mim…

    Vaidades das vaidades, tudo é vaidade…

    Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *